Growth Hacking está presente em muitas empresas nascentes hoje em dia e vem ganhando cada vez mais espaço. Se você está estudando sobre marketing, empreendedorismo e start-ups, já deve ter esbarrado com essa expressão e talvez até lido alguns casos de sucesso. Fique tranquila! Pois não é só em start-ups ou grandes equipes de marketing que onde o Growth Hacking tem espaço.

Ele é a razão pela qual podemos ver algumas novas startups a cada ano, com taxas de crescimento absolutamente incríveis. Por isso, neste artigo reuni tudo que você precisa saber para entender e usar o Growth Hacking a favor do seu negócio. Vamos começar?

O que é Growth Hacking?

É uma espécie de marketing orientado a experimentos. Com ele é possível encontrar oportunidades para o sucesso e criar estratégias específicas tendo em vista resultados rápidos para o crescimento da empresa.

Em português, Growth Hacking não tem tradução e fica bem difícil ser literal. Mas isolando as palavras, seria algo como:

  • Growth – crescimento.
  • Hack – brecha, espaço, corte.
  • Hacking – o ato de encontrar e explorar essas brechas e espaços.

Em outras palavras, Growth Hacking é a prática de encontrar “gatilhos” que, ao serem acionados, promovem um crescimento acelerado.

Quem faz o Growth hacking?

O Growth Hacking está acontecendo há poucos anos apenas, mas é uma área que tem muita demanda. Afinal, toda startup está procurando por growth hackers (especialistas de marketing que promovem crescimento rápido com o uso da inovação). Essa prática não é tão simples e rápida. Entretanto, o Growth Hacking se equivale da abordagem científica para encontrar esses gatilhos e explorá-los.

Além do conhecimento técnico e conceitual de Marketing, o growth hacker precisa entender muito bem de processosmetodologia de experimentostecnologia e acima de tudo, neuromarketing ou psicologia do consumidor.

Saber como as pessoas pensam ao longo do processo de compra, como reagem e pelo que são motivadas é algo essencial para um growth hacker. Ao entender isso, recorra aos seus conhecimentos de Marketing para encontrar possíveis gatilhos de crescimento e, com método, busca na experimentação a comprovação de suas hipóteses.

Muitas empresas criaram o cargo de growth hacker ou estruturam times de Growth Hacking, geralmente dentro da área de Marketing. Mas na realidade o Growth Hacking é mais uma forma de pensar do que um cargo ou posição hierárquica. Qualquer profissional pode e deve adotar essa forma de pensar para obter resultados melhores.

Principalmente você, amiga empreendedora. Separei aqui 5 passos pra você implementar esse pensamento inovador no seu negócio. Confira!

Faça um Brainstorming

O objetivo dessa etapa é terminar com um tipo de estoque de ideias. Que não necessariamente serão aproveitadas em um primeiro momento. As ideias geradas no Brainstorming devem ser devidamente anotadas e registradas.

Também é preciso detalhar cada uma das hipóteses. Leve em consideração a complexidade, o tempo de implementação, o tempo de observação e outros fatores que sejam considerados relevantes.

Estabeleça prioridades

Como vimos acima, nem todas as ideias criadas durante a etapa de Brainstorming serão colocadas em prática. Portanto, seguindo com o fluxo, essa é a hora de fazer uma seleção das ideias que serão transformadas em experimentos e qual a viabilidade / prioridade de execução de cada uma delas.

Depois do foco em crescimento, pouco esforço e ótimos resultados são prioridades de um Growth Hacker. Por isso, a seleção de atividades é feita com base nestes critérios.

Registre o Experimento

Eu acho essa a etapa mais importante do processo de Growth Hacking. Exatamente nesta parte do projeto que todo o experimento terá a sua jornada registrada.

Sem isso, fica impossível medir os resultados. O documento de experimentos também é o local ideal para anotar as lições aprendidas e definir os próximos passos.

Leia mais

• Como fazer sua empresa render mais?

• Conheça os melhores indicadores de produtividade

Realize os testes

O MVP ou  Produto Mínimo Viável é um conceito muito utilizado por startups para criar a versão mais simples de um produto, que pode ser lançada usando uma quantidade mínima de investimentos, seja de estudo, desenvolvimento ou financeiro. Inspirado neste conceito, o Minimum Viable Test (MVT) ou Teste Mínimo Viável é usado para testar uma hipótese no projeto de Growth Hacking.

Se ela tiver sucesso, pode-se, a partir deste resultado afirmativo,  ir para o teste de produtos (MVP).

Analise os Resultados

O Growth Hacker vive para este momento: a comparação dos números obtidos durante o teste com as hipóteses levantadas no documento de experimento.

Ao final de cada ciclo de Growth Hacking, a ideia é atuar sempre visando a melhoria contínua. Seja aplicando os resultados ou identificando os erros a serem corrigidos em um novo projeto. Sempre pensando em obter crescimento.

Um ciclo de Growth Hacking pode ser definido como infinito.

Growth hacking na prática

Amiga empreendedora, é natural se você ainda estiver se sentindo perdida. Mas entenda que fazer Growth Hacking de forma efetiva é descentralizar as ideias em pequenos processos para testar hipóteses e gerar crescimento para seu negócio.

Desenvolver ideias, outros produtos e serviços que sejam facilmente escaláveis. E que possam também se aproveitar do boca a boca em grande escala.

Um exemplo que gosto muito é a diferença entre o Uber e o detergente, que li num artigo do Neil Patel, o guru do marketing digital da atualidade.

“Uber, o serviço de substituição de táxi se baseia em pessoas comuns, usando seus próprios carros, para pegar outras no local A e levá-las em segurança até o local B – o pagamento é efetuado através do aplicativo.

Com mais de 250 milhões de carros nas ruas dos Estados Unidos, isso também é muito expansível. Eles proporcionam o aplicativo, que pode ser baixado infinitas vezes e utilizado via internet. Os usuários proporcionam o resto. 

Um produto tradicional, como o detergente, não é muito expansível. Toda vez que você fica sem detergente, você tem que comprar um novo detergente.”

Entende a diferença? E esse foi o nosso texto sobre como fazer seu negócio crescer de forma exponencial. Agora você já sabe os conceitos, conheceu exemplos práticos e já conhece as ferramentas. Então chegou a hora de colocar  a mão na massa. Coloque em prática os 5 passos citados acima e arrase. E por falar nisso, conseguiu assimilar todos os pontos? Deixe suas dúvidas nos comentários!