Viver a empresa em seu cotidiano faz parte da jornada empreendedora, assumir essa obrigação nos faz conhecer cada detalhe, inclusive reconhecer a falência.

Por isso sempre falo com vocês sobre conhecer tudo sobre o seu mercado, fazer pesquisas, entender o comportamento do consumidor e se capacitar para não deixar a peteca cair.

Hoje eu vou dar algumas dicas de como identificar que seu negócio está falindo, às vezes os sinais são tão claros, mas por não estar muito envolvido com aquilo é difícil enxergar.

1 Capital de giro

Toda empresa precisa ter seu capital de giro, ele quem faz o negócio respirar, tomar folego e prossegui, estar descapitalizado é um forte indício de quebra e de problemas.

Se a empresa não está gerando capital suficiente é hora de rever suas contas, geralmente isso acontece com endividamento de curto prazo, acaba virando uma bola de neve e seu fluxo não suporta, começa a atrasar pagamentos, juros, empréstimos e outros fatores aparecem.

2 Desorganização

Um fator que com certeza vai te levar a falência é a desorganização. Tudo precisa estar estruturado para funcionar corretamente, a empresa é uma engrenagem e precisa rodar corretamente, sem falhas.

Reveja a qualidade dos seus serviços, faça controle financeiro, de estoque, identifique detalhadamente os custos, discuta seus prazos e crie uma rotina de conferência das atividades, como uma auditoria, para saber o que acontece de verdade.

Não espere o barco afundar para tentar se organizar, pode ser tarde demais!

3 A empresa cresce com o olho do dono

Não pense que você não precisa trabalhar, se pensa assim está totalmente enganada!

Abandonar a gestão da empresa é uma irresponsabilidade imensa e vai te custar caro, o dono precisa trabalhar e muito para prosperar e entender seu negócio.

Não tô dizendo para se tornar um escravo da sua empresa, mas trabalhar muito é preciso e vai fazer muito bem para você e seu empreendimento.

Demonstrar seus valores é essencial, já que pontualidade, honestidade e amor à empresa, além de outros sentimentos devem ser demonstrados em primeiro lugar pelo proprietário, para que possa ser seguido.

Leia mais:

Treinar para desenvolver e transformar

4 dicas de gestão para a empreendedora

4  Excesso de financiamentos

A sustentabilidade da empresa está diretamente ligada ao que já falamos antes.

Juros de financiamentos são vilões de qualquer negócio, lembre-se que os gerentes trabalham com metas e estão sempre antenados na sua movimentação bancária, preocupados em vender financiamento em forma de esperança.

Não se afunde no banco, tenha o máximo de cuidado possível, faça análise de fluxo de caixa, orçamentos em diversos bancos e só faça empréstimos em último caso, não tome decisões pela emoção, tenha dados e faça tudo de maneira inteligente.

Todo negócio precisa de investimento, mas para isso é bom estar tudo programado e bem direcionado, com você à frente e muito informado.

Seu patrimônio está em jogo!

5 O conjunto da obra leva a falência

Bom, já dá pra criar o conceito de que gerir é mais difícil que se imagina, para isso precisamos ter pilares de sustentação, visando a emergência e a dificuldade.

Tais pilares são pautados por: planejamento, processos, finanças, pessoas, hierarquia, patrimônio e conhecimento do mundo em que está inserido.

Valorize tudo isso, entenda o quão importante é o seu empreendimento para o equilíbrio social, todas passamos por altos e baixos, tentativas e erros. Mas é o que fazemos com isso que vai determinar nosso resultado positivo ou negativo.

Se você está lendo isso agora tenho certeza que está fazendo um bom trabalho, estudar e se capacitar é primordial para desenvolver habilidades que trazem visão e sensibilidade na gestão do negócio.

Vamos em frente, trabalhar para sermos as melhores e ter sempre sucesso!